Mercantilismo em Portugal

. quinta-feira, 5 de março de 2009


Documento 1.

Artigo 1º
Sua Sagrada Majestade El-Rei de Portugal promete, tanto em próprio nome como dos seus sucessores, admitir para sempre daqui em diante no reino de Portugal os panos de lã e mais fábricas de lanifícios da Inglaterra, como era costume até o tempo que foram proibidos pelas leis, não obstante qualquer condição em contrário.

Mina de Ouro no Brail
(Gravura do século XVIII)



Agora já sabes responder.
1. Identifica o Ministro da fazenda do rei D. Pedro II.

2. Refere quais foram as medidas mercantilistas introduzidas em Portugal.

3. Identifica o Tratado a que pertence o Documento.

4. Relaciona o documento e a gravura com as circunstâncias que levaram ao fracasso das medidas mercantilistas em Portugal.

36 comentários:

Ibrahim Salim disse...

Stor, na pergunta 4, eu enganei-me e pus balança A, mas é a balança C. Justifiquei de acordo com a balança C, mas fiz uma pequena confusão e pus A.
Ibrahim Salim

Anónimo disse...

1) O ministro da Fazenda do rei Pedro II era o Conde da Ericeira, Luís de Menezes.

2) As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal, por Luís de Menezes são a criação de nanufacturas nos sectores dos lanifícios, das sedas, dos chapéus,do vidro e do ferro, em regiões portuguesas onde já existe tradição neste tipo de indústria, a importação de equipamentos e técnicos estrangeiros para melhorar o processo de produção e qualidade de artigos, a concessão de subsidios, beneficios fiscais e monopólios para o fabrico de manufacturas e por fim foi aprovado as leis pragmáticas que eram leis que consistiam em proibir o uso de artigos de luxo estrangeiros.

3) O tratado representado no documento intitula-se Tratado de Methuen, e foi realizado em 1703, entre ingleses e portugueses, e era um tratado que consistia em troca de protudos entre Inglaterra e Portugal.

4) A figura ilustra, a escavação de ouro no Brasil que foi uma das causas para o fracasso do Império Português, pois com a descoberta do ouro e diamantes brasileiros, Portugal deixou-se de preocupar com a Balança Comercial ser postiva, pois tinha muito ouro. Outra das causas para o fracasso do Império Português foi o tratado com os ingleses que a estes só interessava o ouro brasileiro e os lanifícios portugueses.


Nichal Gentilal Nº19 8ºC

Anónimo disse...

1.
O ministro da fazenda do rei D. Pedro II é D. Luís de Meneses, Conde da Ericeira.

2.
Para reequilibrar a balança comercial foram introduzidas as seguintes medidas mercantilistas:
-A criação de manufacturas (Lã, Sedas, Chapéus, Ferro e Vidro);
-A importação de equipamentos e técnicos para melhorar o processo de produção;
-A concessão de subsídios, benefícios fiscais e monopólios;
-As Leis Pragmáticas que proíbem o uso de produtos do estrangeiro.

3.
O tratado identificado no documento é o Tratado de Methuen (1703) que consiste no tratado de Inglaterra com Portugal.

4.
A descoberta de ouro e diamantes no Brasil levou com que Portugal tivesse dinheiro para pagar as importações, fez-se então o tratado com Inglaterra onde Portugal passou a depender dos produtos dos ingleses.

Trabalho realizado por:
Jéssica Costa Campos

Anónimo disse...

1-O ministro da fazenda do rei D. João II é D.Luis de Menezes.

2-As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram: a criação de manufacturas, importação de equipamentos e técnicas.

3-O tratado foi o tratado de Methuem(1703).

4-Descoberta de ouro e diamantes do Brasil, dinheiro para importações, Portugal exporta vinho, Inglaterra exporta lanifícios.

Cássia nº5 Rita nº24 8ºC

Anónimo disse...

1-O ministro da fazenda do rei D.PedroII é o conde da Ericeira(D.Luis de Meneses).

2- As medidas Mercantilistas intoduzidas em Portugal foram:
1º- introdução de manufactoras(lanificios,sedas,chapéus,ferroe vidro);
2º-importação de equipamentos e técnicos;
3º-concede: subsidios;beneficios fiscais e monopólios.

3-O tratado a que pertence o documento é o tratado de Methuen (1703).

4-Como o documento diz antes era uma nova lei que dizia que proíbia o uso de produtos do estrangeiro mas essa lei nao se manteve pois houve descoberto ouro e diamantes no brasil e portugal tinha dinheiro para pagar as importações foi assim que aconteceu o tratado de Matheun(1703) foi um tratado com a imglaterra (portugal vendia vinho a inglaterra e inglaterra vendia lanificios).

trabalho realizado por:
joana sousa Nº16 8D

Diogo Nº6 8ºD disse...

pergunta:1
O ministro era o conde da Ericeira (D.Luís de Meneses).

Diogo Nº6 8ºD disse...

pergunta:2
As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram:
-Criação de manofacturas.(lanifícios, sedas, chapéus, ferro, vidro)
-Importação de equipamentos e de técnicos.
-Conceder subsídios, benefícios fiscais e monopólios.
-As leis pragmáticas(lei que proíbe o uso de produtos do estrangeiro.

Diogo Nº6 8ºD disse...

pergunta:3
O tratado é o de Methuem.

Diogo Nº6 8ºD disse...

pergunta:4
As circunstâncias eram que Portugal tinha muito dinheiro para importar devido á descoberta de ouro e de diamantes no Brasil.

Filipa Almeida 8ºC Nº10 disse...

1-O ministro da fazenda do rei D. Pedro II foi D.Luís de Meneses, conde da Ericeira.

2-As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram:
- a criação de manufacturas (lanifícios, sedas, chapéus, vidro e ferro);
- importação de equipamentos e técnicos;
- concede (Subsídios, Beneficios Fiscais e Monopólios);
- Leis Pragmáticas (lei que proibe o uso de artigos estrangeiros (vestuário)).

3-O Tratado que pertence ao documento é o Tratado de Methuen.

4-As relações entre o documento e a gravura são a descoberta de ouro e diamantes do Brasil que fez com que houvesse dinheiro para importações de lã e mais fábricas de lanifícios da Inglaterra.

Anónimo disse...

1. O Ministro da fazenda do rei D. Pedro II, era o conde da Ericeira D.Luuis de Meneses.

2. AS medidas mercantilista introduzidas em Portugal foram as seguintes: Criação de manufacturas(lanificios,sedas,chapéus, vidro e ferro), importação de equipamentos e tecnicos, concede subsidiuos benificios fiscais e monópolios e ainda a lei pragmática que era a proibição do uso de artigos que eram fabricado nos paises estrangeiros

3. O tratado referido no documento e o "tratado de Methues" entre Portugal e Inglaterra

4.O mercantilismo foi um fracasso porque Portugal começou a exportar muito prrodutos com a Inglaterra, como está referido no Documento Portugal exportava muitos lanifícios vindo de lá. Portugal também começou a ter muito ouro e diamantes das minas do Brasil, como mostra a imagem e começou a ter dinheiro para importar produtos estrangeiros.

Francisco Estevam
Nº11 8C

Anónimo disse...

1- D.Luis de Meneses

2- As medidas mercantilistas introduzidos em Portugal são as seguites: criação de manufacturas(lanifícios,sedas,ferro,vidro,chapeu)
importação de equipamento e tecnicos, concede (subsidios,beneficios fiscais,monopolios) implanta a lei pragmatica, que proibe o uso de produtos do estrangeiro.

3- Este documento pertence ao tratado de Methuen(1703)

4- As circunstâncias que levaram ao fracasso das medidas mercantilistas em Portugal foram: descoberta do ouro e diamantes facilitou o pagamento dos produtos importados, importaçoes cresceram significativamente.

CLAUVIS GONÇALVES Nº4 8ºD

Márcio,8ºD disse...

Trabalho Realizado por: Márcio Simões, nº20, 8ºD

1- D.Luís Meneses.

2-Foram:a criação de manofacturas,
a importação de equipamentos e as leis pradmáticas.

3-Tratado de Methuen.

4- Como se descobriu ouro e diamantes no Brasil, facilitando o pagamento dos impostos, e fez-se o tratado de Methuen com a Inglaterra as medidas mercantilistas eram inutéis.

Tiago Ferreira nº28 8ºD disse...

1-Conde da ericeira.
2-utilizar productos de portugal, importaçao de máquinas e tecnicos.
3-methuen.
4-importavam muito.

Anónimo disse...

1-Conde da Ericeira D.Luis de meneses.
2-Criacçao de manufacturas,importaçao de equipamentos e técnicos.



Hugo 8C n 13

Rodrigo pereira disse...

1) O ministro de fazenda de D. Pedro II era D. Luís de Meneses, Conde de Oeiras.

2) D. Luís de Meneses implementou certas medidas mercantilistas em Portugal, a saber:

- criação de manufacturas: laníficios, sedas, chapéus, ferro e vidro;
- importação de equipamentos e técnicos: para poder produzir produtos normalmente importados de outros países (de modo a diminuir as essas mesmas importações), em território nacional;
- concedimento de subsidios, beníficios fiscais e monopólios;
- imposição de leis pragmáticas: lei que proíbe a utilização de produtos estrageiros.

3) Pertence ao tratado de Methuen, tratado esse, feito entre Portugal e Inglaterra (27 de Dezembro de 1703), onde se estabeleceu, de novo, a livre entrada de laníficios ingleses em Portugal e uma redução de tarifas impostas aos vinhos portugueses que entravam em Inglaterra, colocando-os numa situação privilegiada em relação aos vinhos franceses.

4)O fracasso das medidas deve-se a dois motivos. Em primeiro lugar, à descoberta de ouro e diamantes no Brasil, logo, Portugal passa a ter muito ouro para poder voltar a importar (gravura). Por outro lado, e igualmente ligado ao ouro do Brasil e às importações, o Tratado de Methuen fez com que a Inglaterra pode-se vender, de novo, os seus laníficios a Portugal (este, já com ouro suficiente). Portanto, Portugal já não precisava das manufacturas "criadas" pelo Conde da Ericeira (Documento).

---
Respostas de: Rodrigo Martins Pereira, nº23 - 8ºD

Anónimo disse...

1)o ministro da Fazenda do rei de D.PedroII era o Conde da Ericeira(D.Luis Menezes).

2)As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram:
-A criação de manufacturas;
-A importação de equipamentos e técnicos estrangeiros;
-A concessão de subsídios,benefícios fiscais e monopólios;
-A aprovação de leis pragmáticas.

3)O tratado a que pertence o documento é o Tratado de Methuen.

4)Com a descuberta de ouro e diamantes no Brasil, facilitou o pagamento dos produtos importados. As importações cresceram,sobretudo de Inglaterra e tambem de Françae Itália, regiões mercantilistas às quais interessava o precioso metal.assim com o Tratado de Methuen fez-se a aliança entre Inglaterra e Portugal.Ao interesse inglês em aceder ao ouro brasileiro e em conservar o mercado português aberto aos seus lanifícios aliou-se a vontade do governo português que integrava alguns nobres viticultores.

Trabalho realizado por:
*Joana Santos nº17 8D

Ibrahim Salim disse...

1) O ministro da fazenda do rei D.Pedro II era o Conde de Ericeira.

2)AS medidas foram:
-->Criação de manufacturas;
-->Importação de equipamentos e técnicas;
-->Concessão de subsídios, benefícios fiscais e monópolios;
-->Leis Pragmáticas:lei que proibe o uso de produtos do estrangeiro;

3) O documento pertence ao TRATADO de METHUEN.

4) A gravura indica que Portugal descobriu uma mina de ouro e dessa mina ganha dinheiro para pagar os impostos,e o documento diz que Portugal importava produtos da Inglaterra e exportava para Inglaterra, sendo estas uma das medidas a resultarem no fracasso.

Anónimo disse...

1ºO ministro da fazendo do rei D.Pedro II era D.Luís de Meneses, Conde de Ericeira.

2º As medidas introduzidas em Portugal foram: a criação de manufacturas; importação de equipamentos e técnicos especializados; a concessão de subsídios, benefícios fiscais e monopólios; leis pragmáticas(lei que proibe o uso de artigos estrangeiros).

3º O tratado pertencente ao documento (Artigo.1) é o Tratado de Methuen.

4º A relação que existe entre o documento e a figura é que ambos levaram ao fracasso mercantilista em Portugal.
O documento relata o tratado de Methuen, onde dizia que os ingleses ficavam com os vinhos portugueses e os portugueses compravam as lãs inglesas, e a figura representa a descoberta de ouro e diamantes no Brasil, aumentado ainda mais as importações, pois comprava-se o que estava em falta no país.

Daniel Leal 8ºC, Nº6

hidraldo rené disse...

1. O Ministro da fazenda do rei era o conde da ériceira.

2. As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram a criação de manufacturas, a importação de equipamentos e técnicos estrangeiros, a concessão de subsídios, benefícios fiscais e monopólios de fabrico as manufacturas, a aprovação de leis pragmáticas.

3.O Tratado a que pertence o Documento é o tratado de Methuen.

4. Apesar dos esforços do conde da Ericeira, a industrialização do país veio a ficar , em boa parte , comprometida devido ha dois factores a descoberta de ouro e diamantes no brazil que facilitou o pagamento dos produtos importados e o tratado de Methuen que consagrou a aliança comercial entre Inglaterra e Portugal os ingleses estavam interesados em aceder ao ouro brasileiro.

Anónimo disse...

1)O Ministro da fazenda do rei D. Pedro II é o D.Luís de Meneses o CONDE da ERICEIRA.

2)As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram:
-Importação de equipamentos e Técnicos.
-Conceder subsídios,benefícios fiscais e monopólis.
-Leis progmáticas (a lei que proibe o uso de artigos estrangeiros como o vestuáro)

3)O Tratado a que pertence o Documento é o tratado de METHUEN.

4)As circunstâncias que levaram ao fracasso das medidas mercantilistas em Portugal foram por causa da descoberta do ouro e diamantes do brasil.

Anónimo disse...

1-O Ministro da Fazenda do rei D.Pedro II era o Conde da Ericeira( D.Luís de Meneses).resposta a numero 1.

2-As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram:a criação de manufacturas,importação de equipamento e técnicos,concessão de subsídios, benefícios fiscais e monopólios,
a aprovação de leis pragmáticas-lei que proíbe o uso de produtos do estrangeiro.resposta a numero 2.

3-O Tratado a que pertence a este documento é Tratado de Methuen.resposta a numero 3.

4-As circunstancias
que levaram ao fracasso das medidas mercantilistas em Portugal foram:o facto de ter sido descoberto ouro e diamantes no Brasil, o que levou o povo português nomeadamente a nobreza e a burguesia a importarem bastantes bens materiais.resposta a numero 4.


TRABALHO REALIZADO POR: Rute Pereira Nº1 Turma:D 8ªANO

Anónimo disse...

1-O Ministro da Fazenda do rei D.Pedro II era o Conde da Ericeira( D.Luís de Meneses).resposta a numero 1.

2-As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram:a criação de manufacturas,importação de equipamento e técnicos,concessão de subsídios, benefícios fiscais e monopólios,
a aprovação de leis pragmáticas-lei que proíbe o uso de produtos do estrangeiro.resposta a numero 2.

3-O Tratado a que pertence a este documento é Tratado de Methuen.resposta a numero 3.

4-As circunstancias
que levaram ao fracasso das medidas mercantilistas em Portugal foram:o facto de ter sido descoberto ouro e diamantes no Brasil, o que levou o povo português nomeadamente a nobreza e a burguesia a importarem bastantes bens materiais.resposta a numero 4.


TRABALHO REALIZADO POR: Rute Pereira Nº1 Turma:D 8ªANO

Carla Mascarenhas 8ºD disse...

1-O ministro da fazenda do rei D. Pedro II foi o conde da Ericeira (D. Luís Menezes).
2-As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram:
- a criação de manufacturas nos sectores dos lanifícios, das cedas, dos chapéus, do ferro e do vidro;
- a importação de equipamentos e técnicos estrangeiros para melhorar o processo de produção e a qualidade dos produtos.
-a concessão de subsídios, benefícios fiscais e monopólios de fabrico às manufacturas;
-a aprovação de leis pragmáticas (lei que proíbe o uso de produtos do estrangeiro).

3-O documento pertence ao tratado de Methuen.

4-As circunstâncias que levaram ao fracasso das medidas mercantilistas em Portugal foram a descoberta de ouro e diamantes no Brasil ( figura) e o tratado de Methuen em 1703 com a Inglaterra.


Carla Mascarenhas nº3 8ºd

Anónimo disse...

1-Conde da Ericeira (D.luis de Menezes)

2-As medidas foram:
-Criação de manufacturas (lanifícios, sedas, chapéus, ferros e vidro);
-Importação de equipamentos e técnicos;
-Concede: subsídios, benefícios fiscais, monopólios;
-Leis pragmáticas -lei que proíbe o uso de produtos luxuosos.

3-O tratado de Methuen.

4-Porque eles descobriram ouro e diamantes no Brasil então tinham dinheiro para pagar as importações. Depois fizeram o Tratado de Methuen em 1703( em a Inglaterra) em que Portugal vende vinho a Inglaterra e Inglaterra vende lanifícios a Portugal.

Inês Pires nº14 8ºD

Anónimo disse...

1-)O Ministro da fazenda do rei D. Pedro II é D.Luís, Conde da Ericeira.
2-)As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram:
-Criação de Manufacturas (lanifícios, sedas, chapéus, ferro e vidro);
-Importação de equipamentos e técnicos;
-Concede: Subsídios, Benefícios fiscais e monopólios;
-Leis pragmáticas (lei que proíbe o uso de produtos do estrangeiro)
3-)Tratado de Methuen.
4-)O fracasso das medidas deve-se a dois motivos. O primeiro é a descoberta de ouro e diamantes no Brasil, logo, Portugal já possuí dinheiro para poder voltar a importar (como vemos na gravura, que retrata uma cena de uma mina de ouro). O fracasso também se deve ao Tratado de Methuen, que acordava que Inglaterra voltaria a poder vender os seus lanificios a portugal, e portugal vender-lhe-ia o seu vinho.

Thiago Pimenta 8ºD nº27

Anónimo disse...

1. O Ministro da fazenda do rei Pedro II era o conde da Ericeira (D. Luís de Menezes).
2.As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram as seguintes:
☻ Criação de manufacturas: lanifícios
Sedas
Chapéus
Ferro
Vidro
☻ Importação de equipamentos e técnicos
☻ Concede: subsídios
Benefícios fiscais
Monopólios
☻ Lei pragmática (lei que proíbe o uso de produtos estrangeiros)
3. O documento foi o tratado de Methuen (com a Inglaterra) em 1703
4. Foi a descoberta de ouro no Brasil, por isso Portugal tinha dinheiro para pagar as importações.

Evelina nº9 8ºD disse...

1- O Ministro da fazenda do rei D. Pedro II era D. Luis de Meneses (Ericeira).


2- As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram:

- Criação de manufacturas (lanifícios, sedas, chapeus, ferro e vidro).

- Importações de equipamento e técnicos.

- concede: subsídios;
benefícios fiscais;
monopólios.

-Leis pragmáticas - lei que proibe o uso de produtos do estrangeiro.


3- O Tratado a que pertence o Documento é o Tratado de Methuen (1703).


4- O que levou ao fracasso das medidas mercantilistas em Portugal era o ouro e os diamantes que permitiam aos portugueses pagar as importações, e o Tratado com Inglaterra (Tratado de Methuen 1703 Portugal vendia vinho , e Inglaterra vendia lanifícios) . Esta gravura, mostra a mina de Ouro no Brasil, e o texto as importações de lanifícios de Inglaterra para Portugal.

Anónimo disse...

1- O Ministro da fazenda do rei D.Pedro II era D. luis de Menezes.

2- Criação de manufacturas, importação de equipamento e tecnicas,leis pragmaticas.

3-Tratado de Methuem.

4-Descoberta de ouro e diamantes do Brasil, dinheiro para importações.


ass: Jeniffer silva nª15 8C

Anónimo disse...

1-O ministro da fazenda era o Conde da Ericeira.
2-As medidas forma:
- Criaçao de manufacturas( lanificios, sedas, chapeus, vidro e ferro);
- Concessão de subsidios, beneficios fiscais e monopólios;
-Leis progmáticas.
3-O tratado a que pertence o Documento é o tratado de Methuen.
4- porque os ingleses tinham feito um acordo com Portugal onde os Portugueses exportavam lanificios , a gravura era porque os portugueses tinham Ouro do Brasil para gastar nas exportações.

Dércio santos
8ºc nº8

Anónimo disse...

1º O ministro da Fazenda do rei D. Pedro II era o Conde da Ericeira (D. Luís de Meneses).

2º Criação de manufacturas, importação de equipamentos e técnicos estrangeiros, concessão de subsídios, benifícios fiscais e monopólios e aprovação de leis pragmáticas.

3º É o Tratado de Methuen.

4º A descoberta de ouro e diamantes no Brasil fez com que Portugal tivesse dinheiro para pagar as importações e o Tratado de Methuen contribuiram para o fracasso das medidas mercantilistas em Portugal.

Daniela Ribeiro Rodrigues, 8ºD, nº5

Anónimo disse...

1- Conde de Ericeira, D. Luis de Menezes foi o Ministro da fazenda do rei D. PedroII, que veiu apoiar as ideias mercantilistas de Colbert.
2- O Conde de Ericeira toumou medidas no sentido de:
-desenvolver a industria manufactureira;
-reorganizar o comercio;
-reforma monetária;
-implementou manufacturas baseado nas Leis Pragmáticas, que proibia os luxos, evitando a importação de tecidos estrangeiros, as manufacturas passavam a ser apoiadas directamente pela coroa.
3- O documento pertence ao Tratado de Methuen de 1703, em que os ingleses ficavam com os vinhos portugueses e os portugueses compravam as lãs inglesas.
4- As medidas tomadas com o mercantilismo, em que proibia a importação de produtos de vestuário, só era permitido o uso de peças de origem nacional. Esta medida pretendia o desenvolvimento da Industria Manufactureira, essencialmente nos tecidos de lã e á criação de gado ovino para obtenção da respectiva lã.
Estas medidas fracassam devido á abundância de ouro e diamantes vindos do Brasil que facilitou a importação de produtos, com maior relevo vindos de Inglaterra. Estes por sua vez deixaram de importar os vinhos como consequência de não venderem os seus lanificios a Portugal.
Logo o esforço do Conde de Ericeira para desenvolver a industria do país não resulta.
Daniela Filipa 8ºC nº7

Anónimo disse...

1- o Ministro da fazenda do rei D. Pedro II era D.luís XVI.

2-As políticas mercantilistas partilhavam a crença de que a riqueza de uma nação residia na acumulação de metais preciosos (ouro e prata), advogando que estes se atrairiam através do incremento das exportações e da restrição das importações (procura de uma balança comercial favorável). Essa crença é conhecida como bulionismo ou metalismo.

3-O tratado de methuen.

4-O fracasso das primeiras medidas mercantilistas deu-se ao facto da consequência da Pragmática, ou seja, devido a diminuiçãodas importações. nomeadamente de Inglaterra, leva, neste caso, os Ingleses a reagirem mal e a pararem de importar vinho Português, que levou os Nobres produtores de vinho do Vale do Douro a assinarem o Tratado de Methuen [Mituine] em 1703, que dizia que os Ingleses ficavam com os vinhos POrtugueses e os Portugueses compravam as lãs Inglesas. O Tratado em questão prejudicou e levou à diminuição da produção nacional e ao aumento das importações.

nome:João Ramos 8ºc nº17

Nuno Nº21 8ºD e Flávia Nº10 8ºD disse...

1-O Ministro da fazenda do Rei D.PedroII foi D.Luís de Meneses.
2-As Medidas Mercantilistas introduzidas em Portugal foram:
-Criação de Manufacturas(lanifícios, sedas, chapéus, vidro e ferro).
-A importação de equipamentos e técnicos estrangeiros.
-A concessão de subsídios, benefícios fiscais e monopólios.
-A aprovação de leis pragmáticas.
3-O Tratado a que pertence ao Documento é o Tratado de Methuen.
4-As circunstâncias que levaram ao fracasso das medidas mercantilistas em Portugal foram:A descoberta do ouro e diamantes no Brasil e o Tratado de Methuen.

Duarte Oliveira, 8º D disse...

1. O Ministro da Fazenda do Rei D. Pedro II foi o conde da Ericeira, que se chamava D. Luís de Meneses.



2. As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram:
- A criação de manufacturas (lanifícios, sedas, chapéus, ferro e vidro);
- A importação de equipamentos e técnicos estrangeiros, para melhorar o processo de produção e a qualidade dos produtos;
- A concessão de subsídios, de benefícios fiscais e de monopólios às manufacturas;
- As leis pragmáticas (que proibiam o uso de determinados artigos produzidos no estrangeiro, nomeadamente vestuário, panos, louças e vidros).

3. O Documento pertence ao Tratado de Methuen.

4. O documento e a gravura representam as duas circunstâncias que levaram ao fracasso das medidas mercantilistas em Portugal e ao não desenvolvimento da indústria portuguesa:
- A gravura representa a descoberta de ouro e diamantes no Brasil, no final do século XVII, que facilitou o aumento das importações;
- O documento é o Tratado de Methuen, que abriu o mercado português aos lanifícios ingleses em troca da abertura do mercado inglês aos vinhos portugueses – isto contribuiu para o desequilíbrio da balança comercial e para o não desenvolvimento das manufacturas portuguesas.

Sabrina, 8º D disse...

1. O Ministro da fazenda do rei Pedro II era o conde da Ericeira (D. Luís de Menezes).

2.As medidas mercantilistas introduzidas em Portugal foram as seguintes:
Criação de manufacturas:
lanifícios
Sedas
Chapéus
Ferro
Vidro

Importação de equipamentos e técnicos

Concede: subsídios; Benefícios fiscais; Monopólios

Lei pragmática (lei que proíbe o uso de produtos estrangeiros)

3. O documento foi o tratado de Methuen (com a Inglaterra) em 1703.
Foi a descoberta de ouro no Brasil, por isso Portugal tinha dinheiro para pagar as importações.

On line



Projecto da responsabilidade de Carlos Jorge Canto Vieira


Seguidores

Hoje na História

Pesquisar neste blogue